22.11.10

Carmen Miranda Maluquinha

ccm

Praticamente superado meu drama de viver sem batedeira e liquidifcador, resolvi fazer o meu bolo de sempre: o Nega Maluca… Fácil, rápido e não preciso de claras em neve. 

Mas tudo que é repetitivo, enjoa… Resolvi mudar um pouco alguns ingredientes e a maneira de como os misturava. Cheguei na textura e sabor que queria, mas faltava algo… a cobertura. Até que tive a idéia de comprar algumas frutas vermelhas e fazer uma super calda.

Como fiz na forma de cupcakes (porção perfeita para comer qualquer hora sem ter que cortar e lavar a faca… haha), os bolinhos de Nega Maluca com as frutas vermelhas me remeteram imediatamente à Carmen Miranda…

O nome já estava óbvio: Carmen Miranda Maluquinha…

Segue a receita e algumas dicas:


Massa do bolo:                                  

Ingredientes:

- 3 xícaras de farinha de trigo
- 2 xícaras de açúcar
- 1 xícara de chocolate em pó
- 3 ovos
- 1 xícara de manteiga  
- ½ xícara de leite bem quente
- ½ xícara de água fervendo (complete a xícara de leite com essa água)
- 3 colherinhas (de café) de fermento em pó

Modo de Preparo:

1. Unte as formas com manteiga e farinha de trigo
2. Preaqueça o forno enquanto você prepara a massa
3. Em uma tigela misture a manteiga e o açúcar até ficar um creme homogêneo.

A função de misturá-los bem e utilizá-los em temperatura ambiente é “prender” bolhinhas de ar para a massa ficar super macia.

4. Junte os ovos e mexa bem, até a mistura ficar bem batida…
5. Junte o leite com a água e continue batendo…
6. Coloque aos poucos a farinha… Sempre batendo
7. Misture o chocolate… e não pare…
8. Por último, coloque o fermento e misture levemente.

Coloque a massa na assadeira (se tiver de cupcakes ou muffins seria perfeito, mas se tiver a quadrada ou redonda, pode usar também) e leve ao forno médio (por volta de 170 graus por 20 ou 30 minutos ou até o famoso palito de dente sair limpo quando espetado (no bolo!).


Cobertura:                                         

- 100g de Framboesa
- 100g de Amora
- 100g de Blueberry (mirtilos)
- 100g de Groselha (a fruta)
- 1 xícara de açúcar
- 1 taça de vinho

Amora e framboesa são razoavelmente comuns e fáceis de achar no Brasil;

Mirtilos ou Blueberries são encontrados em grandes supermercados (como o Pão de Açúcar ou Empório Santa Luzia em São Paulo) ou mercadões. O Sul do Brasil tem produzido com sucesso o fruto, já que é uma fruta de inverno rigoroso;

Agora, a groselha fresca… bem… Se você achar pra vender no Brasil, me avise. Mas tenho quase certeza que o Brasil não produz comercialmente.

Caso você não tenha, não precise usar, ou ainda substitua por outra fruta, como morangos ou ainda polpa de jaboticaba ou lichia (já fiz com lichia uma vez e ficou ótima!)

Preparo:

1. Misture tudo numa panela no fogão e mexa até reduzir pela metade.


Montagem:                                         

Coloque as frutinhas por cima do bolo e despeje a calda…

Simples, gostoso, apetitoso, saudável e fresco. Melhor que isso, só colocando uma bola de sorvete de creme ao lado do bolo bem quentinho!

Ah, você também pode colocar açúcar de confeiteiro por cima… Fica mais bonitinho.. hehe

 
:)

Labels: , , , , ,

19.11.10

Billy Kwong: Cozinha chinesa com responsabilidade

Se você gosta dos programas de culinária da TV a cabo,  você certamente deve conhecer, além do Jamie Oliver, Gordon Ramsay e Curtis Stone, a Kylie Kwong.

Kylie-Kwong

Kylie Kwong é australiana com ascendência chinesa. É conhecida no Brasil pela série “A deliciosa China de Kylie Kwong", transmitida pelo canal pago GNT.

Aqui na Austrália é uma das chefs celebridades, com vários livros, DVDs e convidada especial em inúmeros programas de gastronomia como o MasterChef e Junior MasterChef, esse último teve sua final na última terça-feira.

Ela também tem um restaurante aqui em Sydney, chamado Billy Kwong localizado no modernete bairro de Surry Hills.

Billy_kwong_logo

Ao lado de restaurantes também estrelados e caríssimos, o Billy Kwong parece intimidar quem passa pela Crown Street. O ambiente é muito pequeno, intimista e apenas uma mesa com um vaso de flor separa o salão da cozinha.

Não há filas, não há a possibilidade de reservar mesa. Mas está sempre lotado. De segunda a domingo. O segredo? Vou te contar…

Chegamos lá por volta das 20h30. O host pegou meu nome e celular e nos avisou que a espera seria de 50 minutos. Sim, meu caro… quase 1 hora numa terça-feira. E que ele me ligaria quando a mesa estivesse pronta. Ou seja, nada de fazer filas na porta. Fomos para um pub na frente do restaurante e em exatos 50 minutos, ele me ligou dizendo que nossa mesa estava pronta.

Apenas 2 garçonetes tomam conta do salão. Tira os pedidos e traz a comida. O vinho branco da casa é delicioso, mas não vendem a garrafa fechada. Se quiser levar pra casa, tem que levar a garrafa aberta. O motivo: eles não são bottle shop! (Aqui na Austrália, é proibido vender bebidas alcoólicas em supermercados, só em lojas especiais, as bottle shops).

Os preços no cardápio parecem razoáveis para o padrão de Sydney: variam entre 30 e 48 dólares o prato principal. Pedi o prato assinatura da Kylie: Pele crocante de pato ao molho cítrico.

Apesar do nome assustador, a pele tem carne de pato… hehe

E o surpreendente: Todos os pratos servem duas porções. A porção extra de arroz custa 3,50 dólares. Uma bagatela na cidade.

Todo o cardápio é feito com animais orgânicos criados livres (nada de gaiolas) e as frutas e vegetais, além de serem orgânicos são biodinâmicos (comida biodinâmica é orgânica, mas de uma maneira mais filosófica, baseada em ciclos lunares e rituais cósmicos).

Todos os molhos de soja, café, chá, chocolate, vinagre, açúcar e óleos são orgânicos e “fair trade” (comércio justo e ético)

A Kylie também foi a pioneira em neutralizar a emissão de todo o carbono que seu restaurante produz.

A comida é deliciosamente simples, sem grandes malabarismos culinários. O meu prato estava harmonicamente impecável: o azedo, doce e cítrico do molho com a carne suculenta e a pele crocante do pato.

A sobremesa do dia, uma simples pêra poché com crême e chocolate. Não sou muito fã de pêra, mas estava bem boa…

Os preços foram bem justos, e, pra ser bem honesto, a conta foi bem abaixo de qualquer outro restaurante de padrão menor.

Ao sair de lá, você consegue entender a razão de Kylie Kwong ter o melhor restaurante chinês da Austrália e ser uma chef de cozinha com orgulho da profissão.

Para ver mais fotos, veja o álbum abaixo:

 

Billy Kwong
3/355 Crown St, Surry Hills
Tel: +61 (02) 9332-3300
Sydney, Austrália

Labels: ,

18.11.10

Le Beaujolais Nouveau est arrivé!

beuajolaissssnouveau

No mesmo dia, na mesma hora, no mundo inteiro.

Todo ano, milhares de pessoas em mais de 190 países celebram a chegada do Beaujolais Nouveau.

Hoje, 3ª quinta-feira do mês de novembro, abre-se uma garrafa, ergue-se a taça e grita-se:

"Le Beaujolais Nouveau est arrivé!"

É dia de comemorar a nova safra de vinhos!! É dia de comemorar o primeiro vinho dessa nova safra...

É o único vinho com data, horário e contagem regressiva para ser vendido, aberto e tomado!! Uma tradição protegida por leis na França!!

Nas festividades, as mesas de Paris e Lyon ficam cheias, e as ruas são tomadas por grupos que percorrem bares e restaurantes com uma taça na mão.

Caminhões carregados circulam pelo país, portando faixas escritas

"Le Beaujolais Nouveau est arrivé!"

Trata-se do 1º vinho da safra do ano, comemorado com muita festa.

O lançamento simultâneo envolve uma mega e perfeita operação de logística pois as garrafas chegam no mesmo dia aos 5 continentes.

Deve ser consumido por volta de 14ºC, junto com muitos amigos ou com uma pessoa especial. Dizem que dá sorte!

Apesar de ser classificado como regular, o Beaujolais Nouveau é sinônimo de festa, alegria, tradição, polêmica e rótulos coloridos e colecionáveis…

E, cá entre nós, uma grande jogada de marketing.

C'est le Beaujolais Nouveau!!! Le même jour, à la même heure, dans le monde entier!!!

LE BEAUJOLAIS NOUVEAU EST ARRIVÉ!!!

Festeje!

Labels: , , , ,

16.11.10

Massaman chicken @ Khao Thai

37, Ultimo Road - Sydney, Australia