28.12.08

1000 coisas para comer antes de morrer

#0003 Groselha Natural

groselhas

Esqueça o gosto daquele xarope de groselha Milani. A fruta natural tem um sabor totalmente diferente, azedinha e com 7 caroços difíceis de mastigar e difíceis de cuspir. Sentiu o drama?

Labels:

Prato pra viagem

truta  
La Marmite 
Mitre, 329 
 Bariloche - Argentina

Comida boa, restaurante aconchegante com cara de ser muito formal, mas na realidade é perfeito para jantar conversando e rindo alto. Gostoso, não muito caro e atendimento com simpatia-progressiva (vão te tratando melhor quando você começa a ir com freqüência).

Labels:

Confitures e Geléias

geleias e confitures 

No Brasil, tudo é geléia!

Não é bem assim. Muita gente confunde confiture com geléia. Mas são coisas bem distintas.

Confiture é um processo de conservação de frutas com açúcar, feito com frutas em pedaços macerados. Muito parecido com a nossa geléia.

Geléia é mais nobre. É somente o sumo da fruta com açúcar. As frutas precisam ser ricas em pectinas para poder dar a consistência (e aparência) de gel (gel, geléia... pegou?!). As melhores são pêssego, groselha, framboesa, morango, blueberry (ou mirtilo), amora, maçã e cassis.

Claro que pode-se fazer geléias com outras frutas. Geralmente usadas com pectina industrial extraídas de maçãs.

Além disso, a confiture é bem mais barata e os potes são maiores, mas isso não significa que é menos gostosa.

Quando for viajar, fique atento aos rótulos e não estranhe se um vidrão de "geléia" de 1kg custar poucos euros (talvez 1 ou 2), e outros de 200g custarem os olhos da cara! ;)

25.12.08

1000 coisas para comer antes de morrer

#0002 Panettone

Com frutas ou com chocolate, o panettone é uma das delícias do natal com gostinho de festa de final de ano.

Labels:

23.12.08

Macarrão caseiro!

Afim de fugir um pouco da comodidade de abrir um pacotinho de macarrão e se arriscar a fazer uma pasta caseira?

É uma das receitas mais simples da cozinha:

Para cada 100 gramas de farinha de trigo, 1 ovo grande.

macarrao221208

Não precisa de água, sal, manteiga, nada! É só farinha e ovo.

Pra preparar, é so misturar tudo até ficar bem homogênea. Não se assuste com a "dureza" da massa. Se você não faz academia, prepare-se: você vai ficar com os braços e punhos doendo de tanto sovar a massa. Caso esteja muito, mas muito dura, vá colocando um pouco de gema para ajudar.

Quando ela estiver bem sovada, abra com uma máquina de macarrão ou com um rolo (é difícil, mas mais gostoso de fazer) até ela ficar praticamente transparente e bem fininha.

Polvilhe farinha, enrole e pique as tirinhas na espessura que você quiser.

Coloque em água fervente com sal até ficar al dente. Dependendo da espessura, pode ficar pronto entre 1 e 10min.

Pronto. Você fez seu próprio macarrão que, com certeza, vai fazer sucesso entre seus amigos.

Ah, por favor! Não me vá colocar molho de latinha, hein?! Trate de fazer um molho de macarrão bem gostoso com tomates frescos!

[100 gramas de farinha = aprox. 1 pessoa]

16.12.08

Prato pra viagem

P4100068
Restaurant Denos
1117, St-Denis
 Montréal - Canadá

Restaurante grego super familiar, daqueles que o dono vem te cumprimentar na porta. A garçonete fala português (mas é espanhol na verdade). Bem baratinho, gostoso e simpático!

Labels:

1000 coisas para comer antes de morrer

#0001 Coxinha do Fasano

Ela nem está no cardápio, mas se você pedir, vc vai comer a coxinha com osso e creme mais gostosa de São Paulo. Pra comer de garfo, faca, ajoelhado e rezando.

Labels:

13.12.08

O Lombo do Prêmio Paladar 2008

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Esse ano participei do meu primeiro concurso de gastronomia, o Prêmio Paladar do Estadão, na categoria Receita dos Leitores.

O tema era uma receita de assado com guarnição. Resolvi inventar uma receita com uma das carnes mais injustiçadas do Brasil, o porco.

Todo mundo acha que é gordurosa, seca, carne suja. Blah! Bobos! E é a primeira que sobra na ceia de Natal. Já repararam?

A carne de porco brasileira hoje é tão rigorosa em qualidade que você pode comer até mal passada sem nenhum problema.

Escolhi um lombo de porco fresco (fuja dos congelados temperados!) e tentei fugir da influência das receitas americanas que misturam bacon e frutas (pêssego, ameixa, figo...).

Por causa dela, acabei sendo um dos 10 finalistas do prêmio. Perdi para uma receita de Peru (congelado temperado!!).

O resultado você confere abaixo. Um pouco de dignidade ao pobre porco! :) ou não! hahaha

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Lombo de Porco com Molho de Vinho Tinto e Batatas com Gruyère e Azeite de Nozes

Para o Lombo:
800g de lombo de porco
Sal temperado (grão de coentro, pimenta do reino, pimenta branca e grão de mostarda)
750ml Vinho branco
1 cenoura
1 dentes de alho
1 folha de louro
1 cebola pequena
Ramo de tomilho-limão
Ramo de Alecrim
Mel e Amêndoas em lâminas para finalizar

Para o Molho de Vinho:
750ml de vinho tinto
1 cenoura
1/2 cebola
1 dente de alho
4 colheres de mel
1 colher (café) de amido de milho
Ramo de Alecrim
Ramo de tomilho-limão

Guarnição - Batatas Salteadas com Azeite de Nozes:
5 Batatas
Folhas de Tomilho-limão
Noz-Moscada
200g de queijo Gruyère ralado
Azeite de Nozes

Modo de Preparo:

Lombo:
Lave o lombo e seque com papel. Tempere com o sal temperado (macere todas as especiarias com o sal). Pique grosseiramente a cenoura, o dente de alho, a cebola e junte com o vinho branco, o tomilho-limão e o alecrim.
Deixe marinando por 2 horas.

Reserve o caldo da marinada e asse o lombo em forno médio-alto (aprox. 220 graus) por 1 hora. Coloque o caldo aos poucos na assadeira.

Após assado, pincele mel e coloque amêndoas na superfície.

Molho de vinho:
Pique grosseiramente todos os ingredientes e junte o vinho tinto. Deixe em fogo alto até reduzir metade do líquido.

Guarnição:
Cozinhe as batatas com casca por 30 minutos. Retire e corte em rodelas.
Numa assadeira, salteie as batatas com um pouco de manteiga, noz-moscada e tomilho-limão. Acerte o sal.
No prato, coloque o queijo Gruyère ralado por cima e um pouco de azeite de nozes para finalizar.

Sirva o lombo fatiado apoiado nas rodelas de batata. Finalize com um pouco de molho de vinho na lateral do prato.

7.12.08

1º post

Cresci numa casa em que o maior cômodo era a cozinha. Era lá que tudo acontecia, a casa pulsava e onde as coisas interessantes estavam.

A primeira coisa que aprendi a fazer por conta-própria, e recebi elogios por isso, foi uma panqueca. Aos 8 anos. Achava lindo o jeito de virar, jogando-a pro alto. Essa foi a minha estréia na cozinha.

De lá pra cá essa diversão virou um hobby, que virou paixão e agora virou um blog.

Bem-vindo! :)